Moda para advogado: Dá pra fugir dos looks tradicionais?

Moda para advogado: Dá pra fugir dos looks tradicionais?

A semana mais famosa da moda brasileira, a São Paulo Fashion Week chamou atenção por esses dias e pegando embalo nesse tema que esteve em voga recentemente, vamos falar um pouco sobre o vestuário do advogado contemporâneo. Dá pra ser descolado em uma profissão que, muitas vezes, exige certa formalidade?

Roupas e acessórios compõem parte da comunicação não-verbal. São mensagens que transmitimos com poder de formar a primeira impressão sobre nós. Sim, pode não parecer justo que uma roupa determine considerações a respeito do indivíduo, porém, principalmente no ambiente de trabalho, na maioria das vezes, funciona assim. Além de competência, é preciso estar atento à aparência.

Tem como escapar do terno?

O convencional se mantém. O terno continua sendo peça indispensável no guarda-roupa do advogado, principalmente em dias de audiência. Em outros momentos é possível deixá-lo de lado e investir em algo mais despojado, calça social, camisa, sem blazer e sem gravata.

Quanto aos tons, o terno preto passa uma imagem mais tradicional. O cinza e o azul marinho, acompanhados de um sapato marrom transmitem algo mais refinado e elegante.

E para elas?

Para as mulheres, os clássicos também são bem vindos. Saias e vestidos na altura do joelho ou, no máximo, dois dedos acima. Camisa fechada, evitando decotes chamativos, blazer em cores naturais, de preferência.

Outra grande aposta do armário feminino são os terninhos, que ganharam novas versões resultando em uma opção que combina perfeitamente o usual e o despojado.

Cores e tecidos

Para ambos, homens e mulheres, é importante, sempre que for possível, investir em panos que facilitem a transpiração como camisas de algodão e, acima de tudo, que deixem o profissional confortável, pois na maioria das vezes, ele estará vestido dessa maneira desde o período da manhã até o final do dia.

Outro fator importante, também, são as cores. Segundo estudos, cores chamativas como laranja e amarelo, devem ser evitadas, pois causam ansiedade e irritação. Já o branco traz tranqüilidade e harmonia. Azul é sinônimo de confiança no ambiente de trabalho. Preto e cinza estimulam o pensamento e a produtividade.

Deixe uma resposta